BIHUB PATH

May 28, 2021

Psicologia

Técnicas para Controlar o Estresse e a Ansiedade no Esporte

INSCRIVA-SE PARA O Certificado em Psicologia do Esporte para o Desenvolvimento de Atletas

ENTRAR

Ansiedade e estresse são dois termos que infelizmente tivemos que nos acostumar a escutar nestes últimos anos. O ritmo acelerado da vida e as altas exigências em qualquer de seus segmentos trazem consequências negativas para nossa saúde mental. No caso de atletas de alto rendimento, esta demanda também é intensificada por vários fatores associados à sua prática esportiva.

Entretanto, os transtornos de ansiedade ou os efeitos do estresse não são uma resposta a um estímulo específico. Em uma mesma situação, atletas de modalidades distintas poderão alcançar resultados diferentes. Inclusive uma mesma pessoa lidará com este fato de maneira diferente em diferentes momentos de sua vida ou será capaz de adotar estratégias alternativas para combater o que muitos nomearam como a doença do século XXI. Será que a ansiedade pode se tornar repentinamente uma aliada do atleta?

Mas o que exatamente estamos afirmando quando o assunto é ansiedade e estresse

É curioso descobrir que a ansiedade, por si só, não representa algo negativo para nosso corpo. A ansiedade é uma emoção que nos prepara para algo importante, provocando uma ativação significativa seja ela mental ou corporal. Simples assim. O objetivo desta reação é justamente “despertar” nosso corpo para uma resposta imediata a determinados acontecimentos e isso não precisa ser necessariamente algo ruim. A véspera de uma partida pode despertar ou estimular nossa ansiedade da mesma forma que testemunhar um acontecimento perigoso ou imaginar que vamos viajar de avião. Assim, a ansiedade é apenas uma emoção completamente normal e também necessária para o bom funcionamento do nosso corpo. Fingir que essa emoção pode desaparecer a qualquer momento é um dos erros mais comuns entre aqueles que são afetados por ela.

Algo semelhante acontece com o estresse. Em geral, o estresse é o mecanismo através do qual nos preparamos para enfrentar uma situação nova, exigente ou perigosa. Se esta definição é familiar para você, não pense que seja um déjà vu, pois a ansiedade pode ser definida como uma resposta emocional que desencadeia o estresse, embora não sejam exatamente a mesma coisa. Autores como o Dr. Antonio Cano Vindel, presidente da Sociedade Espanhola para o Estudo da Ansiedade e o Estres (SEAS), explicam que “o estres é um conjunto de situações que acontecem no momento de resolver determinados problemas, gerando assim ansiedade, que provoca que nos apressamos na hora de obter resultados e estes podem ser negativos”. Visto desta forma, uma gestão adequada da ansiedade e do estresse pode ser proveitosa. E este é um aprendizado fundamental para qualquer atleta de elite. Um nível excessivo de ativação, ou seja, de ansiedade e estres, pode causar uma diminuição significativa no desempenho esportivo, como falta de concentração, taquicardia etc. Entretanto, um nível muito baixo de ativação também não é interessante, pois nossa capacidade de reação diminui na mesma proporção. O nosso objetivo deve ser o de alcançar um equilíbrio onde a ativação seja mantida em níveis toleráveis, permitindo explorar ao máximo o nosso desempenho na disciplina:

Fonte: retirado de Yerkes & Dodson (1908)

A ansiedade em níveis normais nos ajuda a enfrentar riscos eventuais e, graças a ela, é possível manter o controle sobre nosso corpo ou mente no momento de lidar com essa nova situação. A ansiedade que temos antes de competições pode ser boa se a utilizarmos para treinamentos ou para simular uma partida. O desejo de perfeição torna-se assim o motor de nossa melhoria contínua, mas também de ansiedade e estresse. Se este desejo de perfeição for extremo e se tornar uma neurose, esta busca por nossa melhor versão desencadeará em uma baixa autoestima além de culpa ou vergonha. Autores como Jones (2003) afirmam que os níveis de ansiedade e estresse não são determinantes, mas sim a percepção do atleta, pois isto é favorável ou desfavorável.

Controlando a ansiedade

Se um atleta sente que está perdendo a batalha para a ansiedade, é importante elaborar uma estratégia para que possa reverter a situação e tirar o máximo de proveito dela. Provavelmente, o primeiro passo, como melhor opção, é aceitar que a ansiedade está ganhando mais espaço e necessitamos buscar apoio com alguém especialistas ou profissionais de referência. Este profissional pode ser nosso técnico ou então um psicólogo, mas o importante é que exista uma intervenção psicológica adequada que nos ajude na identificação do problema, pois entender o que está acontecendo e pensar na melhor técnica para lidar com essa situação. Isso significa ter elementos fundamentais para a recuperação do desempenho e da saúde mental de todos os atletas profissionais de futebol. Depois temos a aplicação dessas estratégias de enfrentamento, lembrando que jamais devemos aplicá-las sozinhos.

E qual é a melhor estratégia? Há diretrizes gerais, mas qualquer estratégia deve ser elaborada tendo em mente o potencial de cada um. Há pessoas que se orientam mais facilmente, ao projetar-se na busca pelo seu interior tratando a raiz do problema, dedicando parte de sua energia em compreender o porquê de determinada situação para enfim combater todas as consequências. Outras pessoas optam por uma orientação mais voltada para seu exterior trabalhando a maneira como as mudanças do ambiente as afetam e, assim, preparando-se para o que o futuro as reservas. E ainda existem pessoas que utilizam as duas estratégias.

Fonte: adaptado de Anshel y cols. (1997)

Entre os atletas de elite é muito comum identificar estratégias como controle do pensamento, concentração da atenção ou gestão emocional e comportamental. E por falar em técnicas específicas, há aqueles que praticam diálogo interno, meditação, controle de pensamentos negativos ou avaliação de danos, ameaças ou desafios à sua frente. Tudo isto se torna especialmente proveitoso se sua aplicabilidade for correta e sempre acompanhada por um profissional.

Entretanto, existem outras estratégias que chamam a atenção por sua particularidade, apesar de se fundamentarem na ciência. Por exemplo, fazer coisas erradas. Pode parecer estranho, mas faz todo o sentido do mundo. Em muitas situações, os atletas têm a sensação familiar de estar em uma paralisia por análise. O desejo de perfeição excessivo implica ter ou sentir indecisões em muitos casos, e isto leva a bloqueios mentais. Por outro lado, deixar de fazer coisas erradas, ou seja, aceitar que podemos errar e que nada vai acontecer conosco, muitas vezes nos liberta dessa carga e acelera nossa tomada de decisão em qualquer área, inclusive no esporte.

Outra técnica trata-se de esperar para se preocupar. Caso tenhamos um elevado nível de preocupação diante das situações, recomendamos que, ao invés de dar asas a esse sentimento, o mais indicado é adiar esta preocupação. Pode ser somente dez minutos. Esse tempo já é o suficiente, mas esse simples adiamento nos permite ver as coisas com uma maior perspectiva e, provavelmente, descobriremos que aquilo que acreditávamos ser algo tão desastroso, na verdade não era tão grave assim. Finalmente, percebemos que a ansiedade e o estresse não são emoções tão absolutas assim e com o apoio adequado, sempre encontraremos maneiras de ponderá-las.

Jose Valenzuela

Bibliografia

Anshell, M.H., Williams, L., & Hodge, K. (1997). Cross-cultural and gender differences on coping style in sport. International Journal of Sport Psychology, 28, 141-156.

Jones, M. V. (2003). Controlling Emotions in Sport. The Sport Psychologist, 17(4), 471–486.

Yerkes, R.M., & Dodson, J.D. (1908). The Relation of Strength of Stimulus to Rapidity of Habit Formation. Journal of Comparative Neurology & Psychology, 18, 459–482.

KNOW MORE

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.