BIHUB PATH

April 26, 2021

O sono como elemento fundamental para a saúde e o desempenho do atleta

Saúde e Bem-Estar

INSCRIVA-SE PARA O Certificado em Neurobiologia e Rendimento Esportivo

ENTRAR
318K

O sono representa um papel essencial na saúde das pessoas em geral e, além disso, é uma variável biofisiológica fundamental para os atletas, uma vez que o desempenho e os processos de recuperação são diretamente influenciados pela sua duração e qualidade.Um descanso adequado é vital para a saúde do cérebro e dos demais órgãos, pois auxilia na melhoria dos processos de recuperação necessários após as atividades desenvolvidas durante o dia. A importância do sono é tão significativa que sua ausência pode afetar seriamente a memória, funções cognitivas, processos de aprendizagem e também alterar o metabolismo da glicose e reduzir respostas imunológicas. Nesse contexto de pandemia atual, os distúrbios do sono podem ser fatores de risco, pois diminui o índice de imunidade contra infecções respiratórias assim como a eficácia de uma possível imunização. Assim, o sono é um fator determinante na recuperação física e na função imunológica dos atletas.

Apesar de, ao longo do tempo ter sido dada mais importância as variáveis relacionadas com o treinamento e sua capacidade de influenciar no desempenho dos atletas, ultimamente, o entendimento da fisiologia sobre o sono fomentou a quantidade de publicações que analisam sua incidência na saúde e no desempenho, sendo que mais de 80% delas, em especial as científicas abordam esta temática foram lançadas nesta última década. O esporte de alto rendimento, onde incidem estres físico e psicológico, decorrentes das elevadas cargas de treinamento, viagens longas, amplitude nos horários de treinamentos e partidas, bem como estres psicossocial pressionam a busca por melhores resultados e as influências das redes sociais, que ocasionam exposições excessivas nas telas dos dispositivos, inclusive em horários noturnos. Isto induz os atletas a apresentarem uma elevada variabilidade seja ela inter ou intraindividual sobre a qualidade do sono. Por isso, a predominância do sono insuficiente (inferior a 7 horas) e de baixa qualidade é mais incidente entre os atletas de alto rendimento. Diversas pesquisas demonstram como os próprios atletas apresentam experiências com distúrbios do sono, fadiga diurna ou que demoram muito para adormecer. Diversas pesquisas calculam que, aproximadamente, 50 a 78% dos atletas profissionais de futebol de alto rendimento têm distúrbios do sono e cerca de 25% com maior intensidade.

Influência do déficit de sono no desempenho e no risco de lesões

A redução do período de sono pode causar impactos no desempenho e recuperação dos atletas, inclusive afetar a realização de atividades específicas da modalidade esportiva, funções cognitivas ou parâmetros como força submáxima ou potência anaeróbica. Além disso, em virtude do impacto apresentado pela função imunológica e sistema nervoso, diversas pesquisas associam a quantidade de horas de sono com riscos de lesões. Por exemplo, uma pesquisa de Milewski e colaboradores que analisou 112 atletas adolescentes demonstrou que, aqueles que dormiam em média menos de 8 horas por noite tiveram 1,7 vezes mais risco de sofrerem lesões se comparado com aqueles que dormiam 8 ou mais horas por noite. Outra pesquisa onde foram analisadas as relações do sono com riscos de lesões em 340 atletas adolescentes de alto rendimento, demonstrou que, os atletas que dormiam mais de 8 horas durante a semana, apresentaram menores probabilidades de lesões, diminuindo em aproximadamente 60%. Em outra pesquisa publicada recentemente foram analisados atletas profissionais do basquete da NCAA (National Collegiate Athletic Association) que demonstraram sofrer lesões com maior frequência após noites com distúrbios do sono. De acordo com a pesquisa, uma hora adicional de sono poderia estar associada a uma diminuição de até 43% no risco de lesões no dia seguinte.

Por todas estas razões, o sono é eleito como um fator determinante na saúde e no desempenho dos atletas. Devido à elevada predominância de distúrbios relacionados ao sono entre atletas de alto rendimento, o departamento médico e o corpo técnico devem monitorar a qualidade de sono e também se anteciparem a possíveis situações que possam causar distúrbios. É preciso considerar aqueles grupos com uma maior probabilidade de sofrer distúrbios do sono, ou seja, o fator idade. Assim, atletas com mais 25 anos apresentaram piores classificações em questionários sobre qualidade do sono se comparados com atletas com menos de 20 anos.17 O gênero também pode representar um fator de risco, já que as mulheres podem apresentar uma maior predominância de problemas relacionados ao sono. 

Conclusões

Em virtude de tudo isso e conforme recomendações de recentes edições publicadas por especialistas na revista British Journal of Sports Medicine, a quantidade do sono ideal oscilaria entre 8 e 10 horas para adolescentes e entre 7 e 9 horas para adultos saudáveis.1 Contudo, os especialistas sugerem que inclusive os atletas precisam de uma maior quantidade de horas para se recuperarem das demandas físicas e psicológicas associadas à prática esportiva. Assim, para conseguir um sono reparador, é importante adotar diferentes hábitos de higiene de sono, evitando estimulantes como cafeína, álcool e comidas muito pesadas próximo ao horário de dormir. Devemos nos expor à luz natural durante o dia, manter a rotina relaxante antes de se deitar, por exemplo, adotando exercícios de respiração ou meditação e reduzir a exposição excessiva às telas de dispositivos no período que antecede a hora de dormir, além de manter um ambiente fresco, escuro e tranquilo.

Em síntese, o sono é peça chave para a saúde e o desempenho dos atletas. O departamento médico e o corpo técnico devem se conscientizar quanto aos possíveis distúrbios do sono associados à prática esportiva de alto rendimento, bem como procurar se antecipar a eles. 

 

Adrián Castillo García

 

Referências:

  1. Walsh, N. P. et al. Sleep and the athlete: narrative review and 2021 expert consensus recommendations. Br. J. Sports Med. bjsports-2020-102025 (2020) doi:10.1136/bjsports-2020-102025.
  2. Palmowski, J., Boßlau, T. K., Ryl, L., Krüger, K. & Reichel, T. Managing immune health in sports–A practical guide for athletes and coaches. Dtsch. Zeitschrift fur Sport. 70 (2019), Nr. 10 70, 219–226 (2019).
  3. Jagger, J., Puro, V. & De Carli, G. Occupational Transmission of Hepatitis C Virus. JAMA 288, 1469–1471 (2002).
  4. Nedelec, M., Aloulou, A., Duforez, F., Meyer, T. & Dupont, G. The Variability of Sleep Among Elite Athletes. Sport. Med. – Open 4, 34 (2018).
  5. Roberts, S. S. H., Teo, W.-P. & Warmington, S. A. Effects of training and competition on the sleep of elite athletes: a systematic review and meta-analysis. Br. J. Sports Med. 53, 513 LP – 522 (2019).
  6. Tuomilehto, H. et al. Sleep of professional athletes: Underexploited potential to improve health and performance. J. Sports Sci. 35, 704–710 (2017).
  7. Gupta, L., Morgan, K. & Gilchrist, S. Does Elite Sport Degrade Sleep Quality? A Systematic Review. Sport. Med. 47, 1317–1333 (2017).
  8. Khalladi, K. et al. Inter-relationship between sleep quality, insomnia, and sleep disorders in professional soccer players. BMJ Open Sport & Exerc. Med. 5, e000498 (2019).
  9. Fullagar, H. H. K. et al. Sleep and Recovery in Team Sport: Current Sleep-Related Issues Facing Professional Team-Sport Athletes. Int. J. Sports Physiol. Perform. 10, 950–957 (2015).
  10. Skein, M., Duffield, R., Minett, G. M., Snape, A. & Murphy, A. The Effect of Overnight Sleep Deprivation After Competitive Rugby League Matches on Postmatch Physiological and Perceptual Recovery. Int. J. Sports Physiol. Perform. 8, 556–564.
  11. Milewski, M. D. et al. Chronic Lack of Sleep is Associated with Increased Sports Injuries in Adolescent Athletes. J. Pediatr. Orthop. 34, (2014).
  12. von Rosen, P., Frohm, A., Kottorp, A., Fridén, C. & Heijne, A. Too little sleep and an unhealthy diet could increase the risk of sustaining a new injury in adolescent elite athletes. Scand. J. Med. Sci. Sports 27, 1364–1371 (2017).
  13. Watson, A., Johnson, M. & Sanfilippo, J. Decreased Sleep Is an Independent Predictor of In-Season Injury in Male Collegiate Basketball Players. Orthop. J. Sport. Med. 8, 2325967120964481 (2020).
  14. ROBERTS, S. S. H., TEO, W.-P., AISBETT, B. & WARMINGTON, S. A. Extended Sleep Maintains Endurance Performance Better than Normal or Restricted Sleep. Med. Sci. Sport. Exerc. 51, (2019).
  15. O’Donnell, S., Beaven, C. M. & Driller, M. The Influence of Match-Day Napping in Elite Female Netball Athletes. Int. J. Sports Physiol. Perform. 13, 1143–1148.
  16. Waterhouse, J., Atkinson, G., Edwards, B. & Reilly, T. The role of a short post-lunch nap in improving cognitive, motor, and sprint performance in participants with partial sleep deprivation. J. Sports Sci. 25, 1557–1566 (2007).
  17. Swinbourne, R., Gill, N., Vaile, J. & Smart, D. Prevalence of poor sleep quality, sleepiness, and obstructive sleep apnoea risk factors in athletes. Eur. J. Sport Sci. 16, 850–858 (2016).
  18. Schaal, K. et al. Psychological balance in high level athletes: gender-based differences and sport-specific patterns. PLoS One 6, e19007 (2011).

NOTAS RELACIONADAS

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.