BIHUB PATH

2 March, 2021

Líquidos e eletrólitos no futebol

Saúde e Bem-Estar

INSCRIVA-SE PARA O Certificado em Nutrição Esportiva

ENTRAR
318K

Os atletas de futebol estão acostumados com o processo de desidratação frequente, sobretudo, através da transpiração, urina e respiração. Ao mesmo tempo que necessitam se reidratarem com mais eficácia ao consumir alimentos e bebidas. Entretanto, se a temperatura exterior for elevada, a desidratação será desproporcional, pois haverá alterações cardiovasculares e regular a temperatura corporal será de extrema importância. Com isso, o desempenho ficará totalmente comprometido, assim como a técnica e a habilidade.

O processo de perda de líquidos e eletrólitos corporais é denominado de desidratação. Ela pode chegar a uma condição aguda ou até mesmo crônica, o que denominamos de hipohidratação.

Bebidas com alto conteúdo de hidratos de carbono e sais minerais são altamente indicadas para o processo de reidratação. Assim, o atleta ao se reidratar reporá todos os líquidos e eletrólitos necessários para o correto funcionamento corporal. Os eletrólitos são substâncias que produzem cargas positivas e negativas quando dissolvidas em água. Eles estão presentes no sangue e em outros fluídos corporais e afetam a diferentes funções musculares e neurológicas.

As atividades neurocerebrais podem ser comprometidas com a desidratação e com isso respondem com comprometimento dos processos cognitivos, reflexos e coordenação. Estes são fundamentais durante todo o processo e primordiais nos últimos minutos de um jogo. Quando o corpo entra em processo de desidratação, automaticamente, a temperatura corporal é elevada. Estas informações são processadas pelo hipotálamo, que reage com diferentes respostas, tais como a liberação de hormônios.

Entre as classificações de eletrólitos são cálcio, flúor, magnésio, fósforo, potássio e sódio. Todos estes elementos são eliminados através da sudorese e necessitam ser repostos com a ingestão de líquidos para uma absorção mais rápida e efetiva. A água não contém todo eles.

A importância da personalização

Um aspecto importante é personalizar a hidratação de cada um dos atletas em função do seu porte físico, da intensidade ou dos exercícios que realiza e em que condições realiza. Uma ferramenta simples permite saber exatamente se há algum desequilíbrio eletrolítico corporal. É a verificação da urina antes do início de treinamentos ou jogos. Se for amarelo claro ou transparente a hidratação está em seus níveis ideais. Se for um amarelo âmbar, isso indica determinado índice de desidratação.

O consumo, ao longo do dia, de frutas e verduras aumenta os índices de hidratação e uma alimentação baseada em proteínas pode induzir a desidratação. É importante identificar o tipo de dieta e o consumo de líquidos que um atleta tem, porque há maiores indícios de lesões ao existir um processo de desidratação.

Aproveitar as interrupções para reidratar-se

Naqueles jogos em que é possível se reidratar, os atletas devem aproveitá-los de maneira correta, sobretudo se a temperatura ambiente for elevada. Nossa recomendação é que a cada dez minutos exista uma hidratação leve e em pequenas quantidades. A ingestão de líquidos em excesso, pode gerar acúmulo de líquidos no estômago, podendo causar problemas gastrointestinais.

É interessante que exista uma programação antecipada e durante as atividades físicas para a hidratação, pois assim saberemos o momento ideal para ingerir líquidos. Aconselhamos que a reidratação seja realizada após uma hora ou como máximo uma hora e meia após o início das atividades físicas. A recomendação é de uma ingestão de 150% do que tecnicamente podemos perder, ou seja, um atleta pode perder um quilo durante esse tempo. Ele então deverá ingerir um litro e meio de bebidas esportivas.

Bebidas esportivas para uma melhor hidratação

A reidratação pode ser feita somente com o consumo de água. Entretanto, como comentamos anteriormente, o ideal é consumir bebidas esportivas que possuem em sua base alguns complementos além de água. Com base de glicose, hidratos de carbono e sais minerais em diferentes fórmulas, o que permite personalizar o consumo em função das atividades físicas mais intensas e em situações com temperaturas mais elevadas ou não. Podem ser consumidas as industrializadas ou as caseiras. O importante é conter sucos de frutas e 2/3 de água com uma pitada de sal.

Passar da personalização em hidratação a uma estratégia esportiva de equipe é fundamental. Para conseguir esse feito, necessitamos realizar testes de hidratação e sudorese nos atletas ao iniciarem as temporadas, pois desta forma avaliaremos possíveis desidratações e reidratações necessárias para cada um dos atletas. Além de verificar o peso antes e após atividades físicas também comprovamos a quantidade de sais perdidos com o uso de adesivos que analisam a sudorese.

Assim, os atletas que perdem mais sódio após uma atividade física necessitarão de bebidas esportivas que contenham mais sais minerais ou alimentos mais salgados, por exemplo, queijos como o parmesão.

Inclusive antes das atividades físicas

A hidratação antes dos jogos deve ser incorporada como uma rotina e os atletas devem praticar, consumindo pequenas quantidades entre 60-90 minutos antes das atividades físicas. É importante que reconheçam suas necessidades e que possam monitorar suas condições de hidratação.

Também é importante saber a diferença entre bebidas esportivas e energéticas. As bebidas esportivas contêm água, sais minerais e açúcares que hidratam, pois contém na sua base hidratos de carbono e isso gera energia.

Já as energéticas, além destes ingredientes, também contêm cafeína ou taurina, que não são recomendadas para a prática de futebol. O álcool é igualmente desaconselhável, pois gera forte desidratação, pois normalmente inibe hormônios que reduzem o consumo de líquidos pelo corpo e prolongam o tempo de recuperação muscular.

 

BIHUB Team

NOTAS RELACIONADAS

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.