BIHUB PATH

September 24, 2021

Tecnologia & Inovação
Marketing, Comunicação e Gestão

Iniciarão os trabalhos na Arena Camp Nou nos gramados como um projeto pilo IoTwins

By BIHub Team.

O modelo semelhante digital em 3D da Arena Camp Nou do projeto IoTwins foi desenvolvido pelo supercomputador MareNostrum 4, do Barcelona Supercomputing Center (BSC, por suas siglas em inglês) e atualmente trabalhamos com a adaptação para um projeto piloto com o objetivo de realizar diferentes provas. No dia 20 de setembro, a partida entre o Granada e o FC Barcelona, pela primeira vez transferiu todo o estádio para o desenvolvimento realizado em laboratório. Trata-se de uma ferramenta que permite simular e prever os comportamentos do público para um encontro que aprimorará a gestão de grandes instalações, seja pelo conforto do público como pela segurança, entre outras vantagens.

Os trabalhos de adaptação que sofreram adaptações para ajustar todos os dispositivos visuais para o controle e a coleta de dados que dão informações para à ferramenta validar todo o processo realizado até agora. Nesta fase o objetivo é armazenar a maior quantidade de informações possíveis para coletar o máximo de informações que possam ser repassadas durante uma partida. Como expila Álex Gil, coordenador técnico do projeto desenvolvido pelo FC Barcelona: “para transferir o trabalho que estamos desenvolvendo para situações reais, teremos que recopilar todas as informações que atendam ao máximo de cenários possíveis e prováveis. A partida entre o Granada oi um encontro inusitado, na noite de segunda, sob chuva e com restrição de 30% de público em função das medidas restritivas pela COVID-19, aspectos que condicionam o número e a hora do acesso dos assistentes, seu perfil de mobilidade, por exemplo, fez com que poucas famílias pudessem participar com todos os membros o que normalmente era comum e habitual, o que víamos aos domingos à tarde. Enquanto isso, temos tempo para criar um histórico de casos, com cada uma experiência que contribui para o aprimorar os modelos implementados”.

Hoje nosso norte ainda são os protocolos estabelecidos para a contenção da COVID-19. Com os novos protocolos estabelecidos, limitando a participação do público nas arenas, ainda contamos com menor valor em caixa e o clube organiza acessos às instalações e a habilitação de localidades para controlar e reduzi ao máximo aglomerações com o público que assistirá as partidas. Por outro lado, também estabelecemos nas arenas, que passam por obras, que afetam o bem-estar do público e o fluxo dele, pois são zonas que o público transitará com maior cuidado e mais lentamente para evitar acidentes.

O objetivo é testar como funcionará, melhorando a ferramenta durante esta temporada ao utilizar todos os protocolos de segurança para o bem-estar de todos. Fernando Cucchietti, responsável pela análise de dados e a visualização do BSC declara que nesta primeira fase ainda há tempo para calibrar, ajustar e melhorar tudo o que possa ser melhorado para que os resultados sejam mais precisos. ‘‘Aplicamos o uso de hardwares, trabalhamos com todos os dados de WI-FI, dados da Arena, do entorno e estamos comprovando que essas informações são verídicas, confiáveis e que se podem usar’’. Ao estarem configurados todos os dados, podemos começar com os testes piloto dentro da ferramenta.

O objetivo final é que todas as informações coletadas, o modelo possa realizar as previsões mais precisas e exatas possíveis sobre os fluxos dos torcedores e seus comportamentos, levando em consideração os diferentes cenários. Por exemplo, se as obras limitem a abertura das portas da Arena, o modelo precisará prever o que pode acontecer para então tomar medidas que se adaptem ou então realizar medidas coerentes e eficazes. Assim, poderemos alcançar um dos objetivos do projeto: que o modelo se torne adaptável em funções das necessidades de adaptações das obras ou que as medidas de segurança e emergência possam ser implementadas rapidamente.

No longo prazo, o modelo semelhante projetado digitalmente servirá para melhorar as experiências dos torcedores porque reduzirá aglomerações e evitará que o público permanece no mesmo lugar, reduzindo aglomerações e evitará afunilamento nos acessos externos e nos corredores das instalações. A final, o objetivo será mais rápido e eficiente durante o deslocamento da entrada até a saída da Arena. Assim conseguiremos a máxima eficiência durante a gestão de segurança dos profissionais envolvidos, pois a simulação dos cenários permite que se prepare diferentes alternativas em função dos protocolos empregados nas saídas de emergência para cada tipo de incidência que possam ocorrer.

O projeto IoTwins será financiado pela União Europeia através do programa Horizon 2020. A ferramenta ainda está em fase de desenvolvimento para que a Arena Camp Nou possa utilizar todas as informações coletadas no Hojan Cruyff Stadium, com capacidade para sete mil espectadores, pois após essa experiência sairão dados cruciais para que possa ser empregado nas demais arenas esportivas ou em outros setores como centros comerciais, com o objetivo de melhorar e aprimorar a segurança e a acessibilidade de todos. Uma contribuição do Barça e a I+D europeia.

This article reflects only the author’s view and that the Commission is not responsible for any use that may be made of the information it contains

KNOW MORE

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.