BIHUB PATH

2 July, 2020

INCIDÊNCIA DE TENDINOPATIAS NOS ESPORTES DA EQUIPE DO FC BARCELONA

Saúde e Bem-Estar

JUNTE-SE A JILL COOK E EBONIE RIO NO PROGRAMA: TENDINOPATIA DE MEMBROS INFERIORES

entrar
318K

A tendinopatia, é uma característica da degeneração de tendões e dores intensas, por ser uma lesão muito comum que interfere no desempenho dos atletas, podendo chegar a interromper a prática de atividades esportivas e inclusive, em alguns casos, ocasionar a saída definitiva do esporte. Estima-se que as tendinopatias representem aproximadamente 30% das consultas musculoesqueléticas (Nourissat et al., 2015).

Embora sua etiologia seja multifatorial, a evidência parece apontar para a sobrecarga de trabalho como um elemento crucial na origem das dores. Assim, entre os fatores de risco, uma carga superior à que o tendão está habituado, é considerada como um dos principais fatores externos que causam tendinopatia (Nourissat et al., 2015). Além disso, os fatores de risco internos como idade e sexo, assim como fatores hormonais e metabólicos, poderiam explicar por que até 35% das pessoas, apesar de não praticarem atividades esportivas, sofrem tendinopatias (de Jonge et al., 2011).

Como parte deste enfoque sobre lesões esportivas, em 1992, foi publicado o “modelo sequencial para a prevenção de lesões” (van Mechelen et al., 1992), cuja 1ª fase consiste em estabelecer a dimensão do problema e quais as incidências e gravidades das lesões. Na sequência, serão identificados os fatores de risco, bem como os mecanismos da lesão, sendo que é importante considerar o tipo de esporte praticado. Por exemplo, um estudo clássico analisou a predominância da tendinopatia patelar em função do tipo de esporte praticado e se descobriu que o vôlei é o que apresenta a maior proporção (45%) seguido do basquete (32%) (Lian et al., 2005). Esta foi a única pesquisa que até agora retratou a incidência de tendinopatias em atletas de alto rendimento.

Pesquisa realizada pelo F.C. Barcelona

Recentemente membros do departamento médico do F.C. Barcelona e do Barça Innovation Hub publicaram uma pesquisa retrospectiva de todos os casos sobre tendinopatia registrados em atletas do F.C. Barcelona, em cinco de suas áreas (futebol, basquetebol, handebol, hóquei sobre patins e futsal) entre as temporadas 2008-2009 e 2015-2016 (Florit et al., 2019). No total, foram registradas 843 ocorrências de tendinopatias entre 3839 atletas profissionais de futebol e de divisões inferiores em 8 temporadas seguidas. As tendinopatias representaram 22% do total das lesões registradas pelo clube durante o período analisado. O advento das tendinopatias foi mais evidente, sobretudo, nos atletas de basquetebol (70%), profissionais (36%), atletas jovens do sexo masculino (23%) e em esportes com pista coberta (29%). O tipo mais comum de tendinopatia foi a patelar (12%), seguida pela do Aquiles.(10%). Entre as 843 ocorrências de tendinopatia, houve 40 recaídas em uma mesma temporada.

Com relação à área, a maior incidência de tendinopatia patelar ocorreu em atletas profissionais de basquetebol, representando mais do que o quádruplo observado, por exemplo, em atletas do futebol profissional (23% vs 5%). Semelhante ao caso anterior, a maior incidência de tendinopatia de Aquiles ocorreu em atletas do basquete profissional (20%), enquanto a incidência dos isquiotibiais e dos adutores aconteceu em atletas profissionais de hóquei sobre patins (7 e 11%, respectivamente). Por fim, a incidência da tendinopatia do ombro ocorreu principalmente entre os atletas de basquete (5%).

Quanto ao seu efeito sobre o desempenho esportivo dos atletas, a maioria das tendinopatias não chegaram a afastar os atletas dos treinos ou partidas (64%), sendo que apenas 5% levaram o atleta a ficar mais de 28 dias sem poder treinar. Entre as tendinopatias que significaram o afastamento do atleta da rotina diária da equipe, o tempo médio para a sua reintegração à atividade desportiva foi de 7 dias, sendo a tendinopatia do adutor longo que implicou um tempo maior de afastamento.

Conclusões

As tendinopatias representam um número importante de lesões nos esportes de equipe, sendo mais frequentes em equipes profissionais do que em categorias inferiores, especialmente no basquete e hóquei sobre patins. Finalmente, é necessária a coordenação por parte dos técnicos, preparadores físicos e departamentos médicos na hora de estabelecer medidas terapêuticas a partir do momento em que o quadro clínico da patologia aparece, com o propósito de limitar o tempo que o atleta deverá ficar afastado da prática de atividade esportiva.

Esses infográficos mostram os resultados da pesquisa:

 

Adrián Castillo

 

 

References

de Jonge S, van den Berg C, de Vos RJ, van der Heide HJL, Weir A, Verhaar JAN, Bierma-Zeinstra SMA, & Tol JL (2011). Incidence of midportion Achilles tendinopathy in the general population. British Journal of Sports Medicine 45, 1026– 1028.

Florit D, Pedret C, Casals M, Malliaras P, Sugimoto D, & Rodas G (2019). Incidence of Tendinopathy in Team Sports in a Multidisciplinary Sports Club Over 8 Seasons. Journal of Sports Science & Medicine, 18, 780-788.

Lian ØB, Engebretsen L, & Bahr R (2005). Prevalence of Jumper’s Knee among Elite Athletes from Different Sports: A Cross-sectional Study. The American Journal of Sports Medicine 33, 561–567.

Nourissat G, Berenbaum F, & Duprez D (2015). Tendon injury: from biology to tendon repair. Nature Reviews Rheumatology 11, 223-233.

van Mechelen W, Hlobil H, & Kemper HCG (1992). Incidence, Severity, Aetiology and Prevention of Sports Injuries. Sports Medicine 14, 82–99.

NOTAS RELACIONADAS

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.