9 May, 2018

Estão os jogadores bem perfilados em relação à bola?

Rendimento Desportivo
160K

A equipa técnica considera, com cada vez mais frequência, a orientação do jogador como uma característica determinante para obter vantagem posicional durante um jogo. A melhor orientação face a situações concretas pode ser ensinada e aprendida durante os treinos.

Estudos recentes sobre desportos coletivos centram-se em análises táticas, utilizando o posicionamento dos jogadores, obtido tanto através de optical tracking como  de GPS; mas, tanto quanto sabemos, ainda não se facultaram nem analisaram dados relativos à orientação de um jogador  de um ponto de vista quantitativo.

Na área da análise e tecnologia desportiva concebemos e implementámos a função sequencial representada na Figura 1 que, através de um vídeo panorâmico, prevê a orientação de todos os jogadores no campo de jogo.

 

 

Primeiro, a nossa função separa o vídeo panorâmico em fotogramas. Depois, recorta os jogadores em cada fotograma e calcula a posição 2D (esqueleto) de cada jogador recortado, utilizando uma técnica de Inteligência Artificial, Machine Learning, que permite processar a informação, traduzindo-a em exemplos.

Uma vez calculada a posição 2D, faz-se uma proposta de orientação para o recorte desse fotograma, utilizando uma outra técnica de Inteligência Artificial. O último passo na nossa função consiste em combinar as orientações de um jogador, num determinado intervalo de tempo, para criar outra mais robusta.

A incorporação da orientação de cada jogador durante o jogo traria muitos benefícios para melhorar as análises espácio-temporais atuais, tais como o domínio do espaço, a probabilidade de passe, a pressão defensiva e outros modelos que dependem do movimento dos jogadores e do seu posicionamento através do tempo.

A nossa proposta foi avaliada tanto de forma visual como numérica, comparando-a com um sistema de rastreamento portátil (RealTrack System) cujos dados já foram validados.

A Figura 2 representa a avaliação visual. Mostra-se a orientação de um fotograma aleatório de seis jogadores selecionados (um central, um médio-centro e um avançado por equipa). A seta verde corresponde à orientação do dispositivo de rastreamento e a seta amarela corresponde à orientação prevista pela nossa função.

Para se fazer uma análise numérica, calculou-se os metros que cada jogador corre por minuto, a olhar para a frente, para trás e para o lado. Nos gráficos da Figura 3, podem-se observar as diferenças entre as duas fontes de dados.

As vantagens de obter a orientação através do vídeo panorâmico, em vez do dispositivo de rastreamento, são o jogador não ter de carregar nenhum dispositivo de forma invasiva, poder-se obter a orientação dos adversários e ser possível obter a orientação de jogos anteriores onde apenas existia vídeo.

Este tipo de análise poderia ajudar a equipa técnica a identificar alguns défices dos jogadores, em relação à orientação corporal na sua posição, ou dificuldades na possibilidade de a equipa adquirir uma maior fluidez no jogo.

 

Carlos Rodríguez

Análise e Tecnologia Desportiva, FC Barcelona

NOTAS RELACIONADAS

NOVOS DADOS COMO AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS DOS FUTEBOLISTAS VARIAM CONSOANTE A SUA POSIÇÃO

Muitos dos inúmeros estudos a esse respeito, contudo, analisam essas exigências tendo apenas em conta algumas variáveis ou empregando janelas de tempo muito alargadas. Um novo estudo realizado por preparadores físicos do F.C. Barcelona analisou vários desses dados com mais precisão.

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

O QUE É REALMENTE A GESTÃO DA CARGA?

Neste artigo, Tim Gabbett e a sua equipa fornecem um guia convivial para os profissionais, ao descrever o objetivo geral da gestão de carga aos treinadores.

DUAS SEMANAS SÃO SUFICIENTES PARA AUMENTAR O VOLUME E A FORÇA MUSCULAR

Pela primeira vez se prova que não são necessários meses de treino, apenas duas semanas de exercícios adequados são o suficiente para melhorar significativamente o volume e a força muscular.

EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: ESTUDAR “VACINAS” PARA OS MÚSCULOS

É importante treinar com exercícios do tipo excéntrico para prevenir possíveis danos. No entanto, o treino intensivo também pode causar alguns danos a nível muscular, que devem ser monitorizados para minimizar o risco de lesão.

O NÍVEL DE RESISTÊNCIA COMO MODERADOR DA CARGA DE TREINO

A resistência cardiovascular surgiu como moderador do resultado da carga a que se sujeita o desportista.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.