BIHUB PATH

20 May, 2020

CONFINAMENTO E O CRESCIMENTO DO USO DE TECNOLOGIAS

Fan Engagement e Big Data

INSCREVA-SE PARA O CERTIFICADO EM MARKETING ESPORTIVO E PATROCÍNIO

entrar
318K

Nós realizamos grandes ajustes durante o processo de confinamento pelo coronavírus e isso significa que aumentou a importância do uso de tecnologias. A gente transferiu muitas atividades que realizávamos off-line e que agora estão sendo realizados on-line. Muitas famílias estão usando a tecnologia para manter seus filhos em forma, estudarem e se divertir. Essas mudanças têm consequências impactantes para o futuro dos esportes.

Muitos consumidores que antes não usavam aplicativos de videoconferências, de repente precisavam se tornar espertos no assunto. O uso destes aplicativos de videoconferências é necessário para trabalhar de casa e também para manter contato com familiares. Essa nova realidade convive com uma grande demanda por aplicativos de videoconferências em grupo e também de plataformas de comunicação unificadas. As campeãs são: Zoom, Microsoft Teams, Google G Suite, Slack e até mesmo o aplicativo Houseparty da Epic Games. No final do mês de abril, Facebook lançou seu aplicativo chamando de Messenger Rooms com recursos para visualizações de galeria e para dar suporte a grandes grupos.

 

Aplicativos para estádios virtuais

Todo esse processo de uso de tecnologias como as de videoconferências abre caminho para que clubes esportivos desenvolvam aplicativos para estádios virtuais e permitam que os torcedores assistam aos jogos ao vivo sem a necessidade de que eles irem ao estádio. Estes aplicativos necessitarão dispor de várias alternativas de visualização. Assistir aos jogos ao vivo será o centro das atenções. Além disso, caso desejar interagir com outros espectadores que estão assistindo ao jogo e simular que a alegria de interagir com outros torcedores que estão sentados próximos em um dos estádios.

Transmissões de eventos ao vivo do aplicativo de estádio virtual ainda necessita de aprimoramento para oferecer aos torcedores excelentes experiências ao assistir um jogo. Uma maneira importante de aprimorar os feeds de vídeo é incluir painéis virtuais que personalizam os conteúdos de publicidades para diferentes públicos. Essa técnica já é utilizada por emissoras de televisão ao publicarem painéis publicitários reais (que realmente estão nos estádios) por imagens virtuais na tela.

Isso será importante no momento da transmissão do evento para diferentes regiões onde a publicidade física ainda não chegou. Por exemplo, um jogo de futebol da liga espanhola será transmitido no México e serão usadas marcas mexicanas para a publicidade virtual, substituindo a publicidade espanhola que estão painéis físicos no estádio. O telespectador terá a impressão de que a imagem desta publicidade é real. A importância das marcas locais que anunciam em seus mercados locais pode ser maior do que as marcas globais estão dispostas a pagar.

Os jogos de futebol provavelmente serão retomados em breve sem a presença de torcedores. A mesma tecnologia poderia ser usada para introduzir outdoors virtuais e substituir espaços vazios na tela que antes mostrava as arquibancadas com os torcedores. Por exemplo, os proprietários de estádios podem montar “telas verdes” nas arquibancadas para que a tecnologia possa reconhecer como um outdoor virtual; um espaço que pode ser substituído por anúncios digitais. Isso poderia aumentar ou diversificar as receitas dos clubes de uma nova forma, ou seja, proveniente da publicidade para os usuários de aplicativos de estádios virtuais. O aplicativo SPVRS da Tottenham Hotspur no Reino Unido mostra o início da nova era.

 

Partidas reais e videogames

Outra forma de criar experiências completamente novas seria usar essa tecnologia para rastrear a posição da bola e dos jogadores em campo. As posições podem ser usadas como se fosse um jogo de videogame, por exemplo, FIFA 20 de futebol, para fornecer uma versão completamente sintética da partida real. Essa sincronização de um jogo real com um videogame permitiria o uso de recursos completamente novos. Você gostaria de assistir ao jogo com a mesma perspectiva que o seu jogador favorito assiste? Nenhum problema. Você gostaria de assistir o Barça jogar com o Real Madrid em um palácio de gelo? Você poderá mudar a localização do estádio virtual para qualquer local real ou fictício. Acreditamos que esses aplicativos não estarão disponíveis para serem usados a curto prazo, ou seja, antes mesmo do final do isolamento. Estamos em um momento que não sabemos quando será o próximo confinamento ou mesmo uma nova pandemia completamente diferente desta e os clubes necessitarão aprimorar as experiências dos seus torcedores que não puderem assistir aos eventos presencialmente.

A linha entre realidade e a ficção está cada vez mais fina. Os torcedores da Premier League inglesa já assistiram a dois jogos reais, que foram adiados por causa do isolamento em função do coronavírus, que foram transmitidos como jogos virtuais. Watford jogou com o Leicester City, usando o aplicativo Football Manager. O resultado foi um empate de 1 a 1 e jogo foi reproduzido 750.000 vezes no Twitter. FIFA 20 foi usado para simular o resultado do jogo adiado entre Leeds United e Cardiff City. Em sua conta oficial do Twitter Leeds United postou os melhores momentos do jogo como se fosse um jogo real. Leeds venceu por 3 a 1.

 

Compromisso com os torcedores

Durante o recente confinamento, muitos consumidores buscaram entretenimento em suas casas e o fizeram com plataformas de streaming como Netflix, Amazon Video, AppleTV+ e Hulu. Infelizmente, os canais de esportes especializados, como beIN Sports, DAZN e Mitele Plus, não puderam atrair a grande demanda dos consumidores em função da falta de eventos esportivos para realizar uma transmissão. Entretanto, os consumidores aprenderam a amar novas fontes de entretenimento, e isso gerou grandes alterações nos direitos à transmissão de esportes. Muitos torcedores querem ver menos propagandas quando pagam por um serviço de assinatura.

O futuro do entretenimento, seja esportivo ou não, será uma disputa de poderes entre os canais de TV tradicionais, fornecedores de streaming como Amazon, Apple, Google (Youtube), novos serviços como DAZN e Netflix e os próprios fornecedores de conteúdos. Clubes esportivos são, efetivamente, fornecedores de conteúdos. Há quase vinte anos o FC Barcelona conta com seu próprio canal de TV, o Barça TV.

Os torcedores estão sabem perfeitamente o que querem assistir. Isso pode dar a mais clubes e esportes a confiança para lançarem seus próprios canais de TV. A NBA já anunciou que lançará seu novo serviço de streaming em parceria com a Microsoft, e está previsto que entre 2020 e 2021 esteja disponível as primeiras temporadas. Trabalharão com sobreposições de estatísticas em tempo real e uma variedade de feeds de áudio e vídeo ao estilo escolha sua própria aventura. Haverá elementos de jogos, integração com merchandising de mercadorias e mídias sociais. Até um mecanismo de IA que reconhece suas preferências ao longo do tempo personalizará sua experiência com o aplicativo.

Mesmo que a pandemia do coronavírus tenha, por um lado, grande impacto econômico, por outro impulsionará inovações. Eventualmente, essas inovações estimularão mais receitas do que o esperado. Podemos contar com a engenhosidade humana para encontrar um caminho a seguir.

 

Tània Vié Riba

NOTAS RELACIONADAS

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.