BIHUB PATH

January 20, 2022

Rendimento

Como projetar os exercícios para melhorar o jogo em equipe nos esportes coletivos

By Carlos Lago Peñas y Francisco Seirul·lo Vargas.

Segundo a proposta de Seirul-lo, existem diferentes tipos de superioridades no futebol e nos esportes coletivos:

  • Superioridade numérica: Somos mais. Os jogadores da nossa equipe que podem participar no espaço de intervenção e ajuda mútua são mais do que os adversários.
  • Superioridade posicional: estamos em uma posição melhor. Os jogadores estão melhor posicionados no espaço e têm uma vantagem para atingir o objetivo.
  • Superioridade socioafetiva: nos relacionamos melhor. Os jogadores da nossa equipe que podem participar no espaço de intervenção e ajuda mútua relacionam-se melhor entre si do que os adversários.
  • Superioridade qualitativa: somos melhores. Os jogadores executam ações selecionadas com mais eficácia do que os oponentes.

Nos esportes coletivos, o jogo só é possível com os companheiros de equipe, se a pessoa conseguir alcançar altos níveis de interação com eles e o com o comprometimento de uma necessária participação coletiva, que deve transformar o sentido individual da vitória. É nesse momento que surge a cultura coletiva do jogo, através da qual são confirmadas as relações interpessoais e são identificados diferentes códigos de comunicação e laços emocionais com os membros da equipe. Os esportes coletivos geram processos interativos complexos que envolvem, em maior ou menor grau, todas as estruturas do jogador, primando talvez a socioafetiva para a compreensão do jogo. Os sentimentos decorrentes de ter participado, compartilhado e resolvido (ou não) as situações de jogo fortalecem os laços afetivos entre aqueles que as vivenciaram juntos, evidenciando a necessidade de contar com eles.

Com cada acontecimento dentro do jogo, os jogadores ativam um determinado nível de informação para fazer as suas apreciações, que podem ser especificadas em várias dimensões:

  • O conhecimento do acontecimento no jogo, identificado por experiências anteriores de competição e treinamento.
  • O nível de expectativas do grupo antes do acontecimento.
  • O compromisso do sujeito com a equipe para intervir no acontecimento.
  • O estado de confiança entre o sujeito e os outros integrantes da equipe.
  • A aceitação dos juízos que os colegas, adversários, espectadores e o técnico fizeram (se sentir julgado).
  • O grau de satisfação pessoal obtido no desempenho imediatamente anterior.
  • Os desejos e interesses do jogador nessa intervenção.
  • A ideia que o jogador tem do seu nível de aptidão relacionado àquele acontecimento.

O treinamento a ser realizado para otimizar a estrutura socioafetiva deverá levar em consideração:

  • Propor canais de comunicação claros para a informação, para que essas apreciações sejam eficazes e possam otimizar a personalidade socioafetiva de nossos jogadores.
  • Fornecer alternativas às conclusões dos juízos que foram negativos durante a realização daquele acontecimento, para tentar modificar essa predisposição indesejada e fazer com que o jogador aceite modificar os seus preconceitos perante situações futuras.
  • Otimizar os níveis de autogestão do grupo para que eles atuem imediatamente após o surgimento desses juízos negativos e o jogador se sinta parte dessa autogestão.

Finalmente, existem quatro condições que o treinador deve utilizar quando deseja avaliar se a tarefa foi bem elaborada e atingiu os objetivos perseguidos:

  • Durante os exercícios, os comportamentos ou ações desejadas para atingir os objetivos apareceram com muita frequência. Trata-se de proporcionar experiências aos atletas para que eles identifiquem os aspectos mais relevantes de cada tarefa e aprimorem sua execução.
  • Os jogadores devem ter sucesso na tarefa. Devem ser capazes de fazer o que foi proposto nos exercícios e também com o grau de sucesso pretendido.
  • Os atletas compreenderam o conceito que queria ser trabalhado. Não se trata apenas de tempo de prática. É principalmente sobre entender o que precisa ser feito para ter sucesso.
  • O nível de dificuldade das tarefas foi adequado.

O objetivo do treinamento nos esportes coletivos é ajudar os jogadores a adaptarem seu comportamento para terem sucesso no jogo. No entanto, não há nenhuma fórmula mágica que funcione da mesma forma para todas as equipes e jogadores. É preciso conhecer muito o jogo, ajustar o nível de dificuldade das tarefas e saber do que os atletas são capazes. 

Referências:

1 Seirul·lo, F. (2010). Estructura socioafectiva. Documento INEFC – Barcelona. http://www.motricidadhumana.com/estructura_socioafectiva_doc_seirul_lo_Outline_drn.

2  Seirul·lo, F. (editor). (2017). El entrenamiento en lo deportes de equipo. Barcelona: Mastercede.

3 Lago Peñas, C. y Seirul·lo, F. (2021). La dirección del entrenamiento y el partido en el Fútbol y los Deportes de Equipo.

KNOW MORE

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.