7 August, 2019

COMO PROJETAMOS A PRÉ-TEMPORADA: A INFLUÊNCIA DOS RESULTADOS INICIAIS NA CLASSIFICAÇÃO FINAL DAS EQUIPES

Rendimento Desportivo
Desportos Colectivos
160K

Uma das primeiras decisões que uma equipe técnica deve tomar se refere à concepção da pré-temporada. Você terá que escolher os exercícios, planejar o número de sessões, escolher os rivais… ou seja, ajustar a carga de treinamento/competição para atingir o estado ideal no início do campeonato. Agora, você está interessado em chegar ao primeiro jogo na melhor condição possível? Por outro lado, deveríamos optar por um conceito de pré-temporada menos intenso em termos de carga, considerando que temos que competir por 9 meses?  É, sem dúvida, uma decisão de enorme importância. O debate entre os técnicos é intenso. Por um lado, argumenta-se que os resultados alcançados nos primeiros jogos podem ter um efeito positivo na classificação final das equipes no campeonato. Por outro lado, acredita-se que evoluir muito rápido a forma dos atletas pode causar problemas na segunda rodada da competição.

Algumas pesquisas no futebol1,2 e no handebol3 podem nos dar algumas pistas sobre o que devemos fazer. Esses estudos analisaram o efeito dos resultados alcançados nos 5 primeiros jogos da liga nacional sobre a posição final alcançada pelas equipes e estudaram se essa relação é diferente ou não de acordo com o orçamento dos clubes. Os resultados mostram que o efeito dos primeiros dias de competição não é o mesmo para todas as equipes. Para as equipes que possuem os menores orçamentos da competição, a posição ocupada na 5ª rodada é estatisticamente significante (p<0,01) para explicar sua classificação final e também tem o resultado esperado: quanto melhor a posição de uma equipe na rodada 5, melhor será sua classificação final na competição. Este efeito é mais forte quanto menor o orçamento dos clubes. Para as equipes que têm os orçamentos mais altos, a posição ocupada na 5ª rodada não afeta sua classificação final. Os resultados são semelhantes para a Serie A da Itália, a La Liga espanhola, a Premier League inglesa, a Ligue 1 francesa e a Bundesliga alemã.

 

Para equipes com menos força econômica, uma série positiva de resultados iniciais parece ser um reforço que dá segurança aos jogadores e reforça sua convicção de que estão no caminho certo (uma equipe é um estado de espírito, dizem alguns treinadores). Para aqueles que gerenciam mais recursos financeiros, é possível que a presença dos melhores jogadores em suas equipes permita que uma série de resultados ruins seja superada ao longo da temporada.

O talento excepcional desses atletas possivelmente faz com que sua eficácia dependa mais de sua percepção de controle sobre a situação e sua atribuição pessoal ao talento do que em conquistas imediatas ou mais recentes.

 

As implicações práticas para treinar esses atletas sugerem que:

Para equipes com orçamentos mais baixos, além de usar a pré-temporada para fazer testes (alternando jogadores em partidas de preparação ou amistosas, experimentando várias abordagens táticas ou sistemas de jogo, etc.) e “medir forças com outras equipes”, a equipe técnica deve:

  1. Tentar chegar rapidamente a um estado de forma técnica-tática que permita alcançar as primeiras partidas da competição com possibilidades de atuar no mais alto nível possível.
  2. Escolher rivais acessíveis nas partidas de preparação que fortaleçam a percepção de autoeficácia, devido à maior probabilidade de vencer contra equipes fracas (equipes de outras categorias ou divisões, equipes que tiveram classificações piores em anos anteriores, etc.). Ou seja, ter em mente, na concepção da pré-temporada, a importância de “começar ganhando”.
  3. Propor estratégias de intervenção que melhorem os níveis de autoeficácia coletiva.

Para equipes com orçamentos mais altos, a concepção da pré-temporada não deve ter como única orientação para a concepção de cargas de treinamento o rápido ajuste dos jogadores para chegar ao nível mais alto no primeiro jogo do campeonato. Os primeiros jogos podem ser ganhos apesar dos jogadores não estarem na melhor forma individual possível. Também devemos pensar no final da temporada. Além disso, deve-se ter em mente que muitos membros da equipe tiveram poucos dias de férias devido a compromissos internacionais com suas seleções.

Em todos os casos, é importante ter em mente que cada situação é única e exige decisões específicas.

 

Inscreva-se para o Certificado em Treinamento de Esportes Coletivos

 

Carlos Lago Peñas

 

Referências

[1] Lago, C. e Casáis, L (2010). La influencia de los resultados iniciales en la clasificación final de los equipos en el fútbol de alto nivel. Revista de Psicología del Deporte. 19(2): 175-185.

[1] Lago-Peñas, C. e Sampaio, J. (2015). Just how important is a good season start? Overall team performance and financial budget of elite soccer clubs. Journal of Sports Sciences. 33(12): 1214-1218.

[1] Lago-Peñas, C.; Fernández-Villarino, M.; González-García, I.; Sánchez-Fernández, P. e Sampaio, J. (2016). The impact of a good season start on team performance in elite handball. Journal of Human Kinetics. 50(1): 195-202.

NOTAS RELACIONADAS

NOVOS DADOS COMO AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS DOS FUTEBOLISTAS VARIAM CONSOANTE A SUA POSIÇÃO

Muitos dos inúmeros estudos a esse respeito, contudo, analisam essas exigências tendo apenas em conta algumas variáveis ou empregando janelas de tempo muito alargadas. Um novo estudo realizado por preparadores físicos do F.C. Barcelona analisou vários desses dados com mais precisão.

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

O QUE É REALMENTE A GESTÃO DA CARGA?

Neste artigo, Tim Gabbett e a sua equipa fornecem um guia convivial para os profissionais, ao descrever o objetivo geral da gestão de carga aos treinadores.

DUAS SEMANAS SÃO SUFICIENTES PARA AUMENTAR O VOLUME E A FORÇA MUSCULAR

Pela primeira vez se prova que não são necessários meses de treino, apenas duas semanas de exercícios adequados são o suficiente para melhorar significativamente o volume e a força muscular.

Graus de liberdade ou de escravidão?

A compreensão das variáveis modificadoras do jogo, com base nos graus de liberdade.

EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: ESTUDAR “VACINAS” PARA OS MÚSCULOS

É importante treinar com exercícios do tipo excéntrico para prevenir possíveis danos. No entanto, o treino intensivo também pode causar alguns danos a nível muscular, que devem ser monitorizados para minimizar o risco de lesão.

ESTABILIDADE OU INSTABILIDADE, É ESSA A QUESTÃO?

A importância de construir um modelo de jogo no futebol.

O NÍVEL DE RESISTÊNCIA COMO MODERADOR DA CARGA DE TREINO

A resistência cardiovascular surgiu como moderador do resultado da carga a que se sujeita o desportista.

Estão os jogadores bem perfilados em relação à bola?

Através da visão por computador, podemos identificar alguns défices em relação à orientação corporal dos jogadores em diferentes situações de jogo.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.