BIHUB PATH
Retorna

A importância do tempo de jogo e a justiça das decisões do técnico

Nos esportes coletivos, o tempo de jogo numa competição é um tempo de desfrute, e um recurso limitado e altamente valorizado pelos atletas. No handebol, por exemplo, o treinador deve distribuir 420 minutos de jogo (60 minutos da partida x 7 jogadores) entre pelo menos 16 jogadores, o que significa apenas 26 minutos em média para cada jogador. No futebol, os 990 minutos (90 minutos de jogo x 11 jogadores) devem ser divididos entre mais de 25 atletas; neste caso, os jogadores devem se contentar com um máximo de 40 minutos por jogo em média. Como consequência dessa realidade, a rivalidade interna e a disputa pelo tempo de jogo são características relevantes nos esportes coletivos de elite.

Existem os gols psicológicos no futebol?

Um dos mitos mais difundidos no futebol é a existência do gol psicológico. O gol psicológico é aquele que é marcado nos últimos minutos do primeiro tempo, pouco antes do jogo ser interrompido e as equipes seguirem para os vestiários. Acredita-se que receber um gol naquele exato momento pode prejudicar definitivamente a confiança dos jogadores em suas chances de vencer o jogo. Mas então, é verdade que existem os gols psicológicos? As equipes que recebem um gol nos momentos finais do primeiro tempo acabam perdendo os jogos?

A mente do jogador em momentos de incertezas

Existem muitos medos, mas como Lovecraft já falou, um dos grandes génios das histórias de terror, o maior medo dos seres humanos sempre foi ao desconhecido. A gente vive isso desde a nossa primeira infância. O fato de não saber o que há naquele quarto escuro ou de ignorar a quem vamos enfrentar em campo é sempre mais preocupante do que perceber que há um monstro debaixo da cama ou que estamos jogando contra o favorito das apostas. Porque o rival pode ser inexpugnável, mas ele está aí, já sabemos que ele existe e podemos começar a pensar o que fazer ou como agir. Terreno firme em que não podemos pisar se não tivermos informação nenhuma.

Etapas na formação do jogador criativo

À medida que as pesquisas da ciência do esporte avançam, a estreita relação entre a mente e o desempenho físico é cada vez mais notória. Por exemplo, um estudo recente publicado na revista RETOS da FEADEF (Federação Espanhola de Professores de Educação Física) sobre a relação entre habilidades motoras e mentais, concluiu que a alta resistência cardiorrespiratória está associada a maior memória, cálculo matemático, velocidade de raciocínio linguístico e criatividade em adolescentes, independentemente da idade e do sexo.

Como gerenciar o resultado dos jogos para melhorar a preparação dos jogadores

O autocontrole é uma característica essencial para um treinador. Ter controle emocional permite um melhor gerenciamento das situações quando for preciso tomar decisões. É por isso que não é recomendado que um treinador seja muito afetado por uma derrota ou vitória. As consequências de um ajuste psicológico irregular podem levar a uma avaliação incorreta do que aconteceu, atribuindo erroneamente a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso e adotando medidas pouco acertadas para a próxima partida.

Conheça a Evelina Cabrera

Conheça Evelina Cabrera, ex-atleta profissional de futebol e atual treinadora e ativista que se dedica à transformação do futebol feminino em toda América Latina e, nas horas livres, estuda no Barça Universitas. Tivemos um encontro com a Evelina para conversar sobre seus estudos, projetos atuais e futuros, opiniões sobre a situação do futebol feminino.

O que podemos aprender do jeito de comemorar os gols?

A comemoração de um gol é um bom momento para monitorar a saúde mental de uma equipe. Imediatamente após marcar um gol, o jogador e a equipe que marcou tornam-se o centro de atenção dos espectadores e da mídia. As condutas dos jogadores de futebol feitas nesses segundos de alegria permitem avaliar o funcionamento interno de uma equipe e verificar o nível de coesão que existe entre os jogadores.

Como se desenvolve o desempenho físico e técnico-tático dos jogadores de futebol ao longo da trajetória esportiva deles?

Os esportistas de alto nível são cada dia mais velhos. Tecnologia, materiais, nutrição, preparação, prevenção de lesões, investimento financeiro, conhecimento científico ou o excelente nível dos treinadores são alguns dos fatores que têm prolongado a carreira dos jogadores.

A nostalgia é mais poderosa do que a gente acha

O poder que a nostalgia tem na gente é inegável. Trata-se de um mecanismo de defesa extraordinário, produto da nossa própria evolução e da incrível máquina do tempo que temos na cabeça, o cérebro.

Psicologia e autoconsciência do treinador para o aprendizado do atleta

O treinador também é um esportista. Na elite ele faz parte do espetáculo e sofre com a pressão como os jogadores, quando em outras categorias, se for responsável por jovens atletas, seu papel pode não ser mais complicado, mas é mais especial, porque o aprendizado de muitos deles vai depender do seu desempenho e pode marcá-los para melhor ou para pior pelo resto de sua carreira.