BIHUB PATH
Retorna

Os efeitos do exercício físico na função imunológica. Uma faca de dois gumes?

Ninguém duvida atualmente que o exercício físico é benéfico para a nossa saúde. Além disso, esses benefícios são multissistêmicos, o que significa que produzem efeitos sobre os diversos sistemas do nosso corpo de forma coordenada (por exemplo, cardiovascular, musculoesquelético, etc.). Um desses sistemas é o sistema imunológico, por sua vez, brevemente dividido em sistema imunológico inato e sistema imunológico adaptativo. Esses sistemas são responsáveis por nos proteger contra infecções – entre muitas outras funções – e sua relevância tem sido mais do que evidente em face da epidemia de COVID-19. Mas como os exercícios afetam nosso sistema imunológico?

A importância da microbiota nos atletas

A microbiota intestinal (entendida como o conjunto de bactérias que vivem no intestino) tem sido foco de especial atenção nos últimos anos devido aos inúmeros estudos que vincularam sua função à saúde. Assim, a disbiose da microbiota (ou seja, a alteração na composição ou funcionamento das referidas bactérias), que pode ocorrer devido a inúmeros fatores como dietas inadequadas, níveis elevados de estresse ou abuso de antibióticos, tem sido relacionada ao desenvolvimento de numerosas patologias metabólicas e inflamatórias.

Como afeta o consumo de álcool aos atletas?

O álcool, mesmo em doses moderadas, faz parte do cotidiano de grande parte da população. Os atletas não ficam por fora disso, que muitas vezes fecham o dia de treinamento socializando ou comemorando com uma bebida no meio. Todo mundo sabe que o consumo de álcool pode ter consequências importantes para a saúde.

Qual o verdadeiro risco de contágio durante um jogo?

O distanciamento físico é uma das medidas mais importantes para prevenir a propagação do SARS-CoV-21,2. Embora, manter a distância interpessoal recomendada não é possível na maioria dos esportes, incluindo futebol. É por isso que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera os esportes coletivos como esportes de alto risco COVID-19 por causa do contato físico e da proximidade entre os jogadores3. No entanto, as evidências científicas que suportam a probabilidade de propagação do vírus durante uma partida de futebol são limitadas. Será que o futebol pode ser considerado um esporte de alto risco de contágio?

Estratégias para reduzir os efeitos negativos das viagens nos atletas

Viajar faz parte do dia a dia de muitos atletas, principalmente entre aqueles de elite. É comum que os atletas façam viagens curtas frequentemente todas as semanas, e até mesmo algumas viagens longas (>3 horas). As viagens, embora necessárias em muitas ocasiões, podem ter efeitos negativos na saúde e no desempenho dos atletas.

Como otimizar a concentração dos atletas profissionais de futebol durante treinamentos e partidas nos esportes de equipe

Michael Jordan, um dos melhores atletas profissionais da história do basquete, disse certa vez que não importa quantas horas você treine e sim as horas em que você esteja concentrado no treinamento.

Será que um atleta profissional de futebol corre menos no segundo tempo de jogo?

O desempenho físico dos atletas profissionais de futebol vem sendo pesquisado de maneira expressiva nos últimos 25 anos.

O FENÔMENO EFEITO DA IDADE RELATIVA NA IDENTI IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TALENTO ESPORTIVO

O fenômeno do efeito da idade relativa (EIR) tem como referência a variação de capacidades entre indivíduos que foram agrupados para um determinado objetivo ou função com base em sua idade cronológica.

O sono como elemento fundamental para a saúde e o desempenho do atleta

O sono representa um papel essencial na saúde das pessoas em geral e, além disso, é uma variável biofisiológica fundamental para os atletas.

Como o ciclo menstrual e os anticoncepcionais influenciam no desempenho esportivo das atletas?

O esporte de elite cada vez mais se mostra equitativo e as mulheres marcam presença significativa e, em algumas modalidades, elas são a maioria.