Desportos colectivos

A posse da bola como protagonista do jogo

Principais
Desafios

ACTIVIDADES EXPLORATÓRIAS

"Prática com base em capacidades desportivas de actividades exploratórias do jogador ou equipa-sistema."

APOIO AOS TREINADORES

Apoio ao treinador que visa a aceitação de novas quotas de intervenção pedagógica.

ACOMPANHAMENTO METODOLÓGICO

Contribuição de novas formas de acompanhamento metodológico ao jogador com base na aprendizagem implícita.

NOVAS FORMAS DE INTERPRETAR O NOSSO JOGO

Desenvolvimento de novas formas de interpretar e colocar em prática a nossa proposta criativa, proativa e associativa de jogos.

ESTRUTURAS INOVADORAS DA ORGANIZAÇÃO COLETIVA

Implementação de estruturas inovadoras de organização coletiva com base nas alternativas fundamentais de cada uma das seções desportivas do Clube.

SOLUÇÕES HOLÍSTICAS PARA A CONTINUIDADE DO JOGO

Interpretação da situação de jogo de forma transversal e holística visando propor soluções para a continuidade do jogo.

Desportos colectivos

PRETENDEMOS POTENCIAR A AUTO-ORGANIZAÇÃO E A AUTONOMIA DOS JOGADORES COMO PARTE DO TRABALHO CRIATIVO E DIFERENCIAL.

Os desportos coletivos caracterizam-se pela sua realização em ambientes variáveis, por isso os desportistas devem adaptar as suas acções motoras, relacionamentos e interacções de forma não linear. Potenciar as situações de auto-organização e facilitar a autonomia dos nossos jogadores serão os objectivos a alcançar a partir do trabalho criativo e diferencial.


Em todas as seções do desporto em equipa que representa o nosso Clube, a bola é geradora de situações de desequilíbrio contínuo, buscando sempre tomar a iniciativa e condicionar o adversário através da nossa interpretação coletiva.

NOTAS RELACIONADAS

UM ESTUDO PIONEIRO SOBRE A ATIVAÇÃO DOS MÚSCULOS DO OMBRO EM JOGADORES DE HANDEBOL

O handebol é um dos esportes englobados no termo overhead.Este conceito compreendeaqueles esportes com base em um movimento que implica levar o braço acima da cabeça.

FUTEBOL É PARA FUTEBOLISTAS

O FC Barcelona realizou a jornada “Barça: Feminino e Plural” coincidindo com o dia da mulher, organizada nas instalações do Camp Nou.

OS CENÁRIOS DE MÁXIMA EXIGÊNCIA EM JOGOS DE POSIÇÃO SÃO REPRODUZIDOS DE IGUAL MANEIRA EM TODAS AS DEMARCAÇÕES?

Com o objetivo de descrever a resposta condicional dos jogadores em competição como, por exemplo, a distância em corrida, está sendo usado o valor médio percorrido durante uma parte ou partida completa.

A INFLUÊNCIA DA PERCEÇÃO SUBJETIVA DO ESFORÇO SOBRE O TREINO E A COMPETIÇÃO NO FUTEBOL.

O controlo da carga de treino é uma das ferramentas fundamentais para otimizar o rendimento, tanto dos atletas de alto nível em geral como dos futebolistas em particular.

A ENTROPIA: UMA NOVA MEDIDA NOS TREINOS DE FORÇA

A capacidade de sprint é essencial na maioria dos desportos, como o râguebi, o futebol e o basquetebol. Mas essa capacidade não se desenvolve em condições estáveis e controladas.

SERÃO OS JOGOS REDUZIDOS A SOLUÇÃO PARA TODOS OS NOSSOS PROBLEMAS?

Uma das temáticas que está a suscitar muito interesse entre os investigadores e técnicos desportivos é o estudo dos cenários de máxima exigência ou “worst case scenarios”.

TREINO ESPECÍFICO DA POSIÇÃO E DE POSICIONAMENTO EM CAMPO NO FUTEBOL DE ELITE: QUESTÕES DE CONTEXTO

Os que têm acompanhado o futebol de elite ao longo da última década sabem que o jogo está mais exigente do que nunca. Isto coloca mais enfase nos métodos de treino para que os jogadores estejam preparados para as exigências do jogo.

QUE VARIÁVEIS OBSERVAMOS NÓS, OS PREPARADORES, PARA TOMAR DECISÕES?

De todas as variáveis que os sistemas de monitorização e registo nos trazem atualmente da atividade dos nossos jogadores, qual é a informação mais relevante?  Esta é uma pergunta com que provavelmente se confrontam todos os técnicos, quando começam a gerir o grande volume de informação que se gera em cada sessão de treino.

DECIFRANDO O “MODELO BARÇA”

Pela primeira vez, a nossa nova investigação pode oferecer algumas ideias sobre a metodologia de treino e ajudar a compreender a sua contribuição para o bom trabalho do clube.

Análise e Tecnologia Desportiva
Rendimento Desportivo
Desportos Colectivos
Blog

NOVOS DADOS COMO AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS DOS FUTEBOLISTAS VARIAM CONSOANTE A SUA POSIÇÃO

Muitos dos inúmeros estudos a esse respeito, contudo, analisam essas exigências tendo apenas em conta algumas variáveis ou empregando janelas de tempo muito alargadas. Um novo estudo realizado por preparadores físicos do F.C. Barcelona analisou vários desses dados com mais precisão.

NUTRIÇÃO DE RECUPERAÇÃO PARA O FUTEBOL: CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPA

Análise e Tecnologia Desportiva
Desportos Colectivos
Blog

Graus de liberdade ou de escravidão?

A compreensão das variáveis modificadoras do jogo, com base nos graus de liberdade.

O futebol a partir dos primeiros princípios

O objetivo desta publicação é delinear uma série de princípios considerados cruciais para compreender o o desenvolvimento do estilo de jogo do FC Barcelona.

Rendimento Desportivo
Desportos Colectivos
Blog

EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: ESTUDAR “VACINAS” PARA OS MÚSCULOS

É importante treinar com exercícios do tipo excéntrico para prevenir possíveis danos. No entanto, o treino intensivo também pode causar alguns danos a nível muscular, que devem ser monitorizados para minimizar o risco de lesão.

UMA CLASSIFICAÇÃO OBJETIVA DAS LESÕES MUSCULARES

Uma boa e objetiva classificação “melhoraria a precisão do prognóstico, permitira ajustar o tratamento e reduzir o risco de relesão.

O ESTUDO DAS ACELERAÇÕES E DESACELERAÇÕES DE ALTA INTENSIDADE NO FUTEBOL

Uma nova dimensão de análise sugere que as acelerações máximas ocorrem com uma freqüência maior que 8 vezes em ações de sprint.

Rendimento Desportivo
Desportos Colectivos
Blog

O NÍVEL DE RESISTÊNCIA COMO MODERADOR DA CARGA DE TREINO

A resistência cardiovascular surgiu como moderador do resultado da carga a que se sujeita o desportista.

Os espaços no futebol sob uma perspetiva quantitativa

Nas palavras de Johan Cruyff, “os jogadores, na verdade, têm posse da bola, em média, durante 3 minutos. Portanto, o mais importante é: o que fazer durante os outros 87 minutos em que não se tem a bola? É isto que determina a qualidade do jogador.”