Rendimento desportivo

Uma nova forma de observar, abordar e de fazer a gestão do desporto

Principais
desafios

SISTEMAS DE MONITORIZAÇÃO NÃO INVASIVOS

Melhoria e desenvolvimento de sistemas de monitorização não invasivos de exercício mecânico (carga externa) e respetiva resposta fisiológica (carga interna).

ANÁLISE E AVALIAÇÃO

Análise e avaliação de novas correlações entre marcadores de carga externa e interna

OPTIMIZAÇÃO DO RENDIMENTO E PREVENÇÃO DE LESÕES

Desenvolvimento de novas soluções, testes e guias para optimização do rendimento e prevenção de lesões musculares e tendinosas.

MONITORIZAÇÃO AUTOMÁTICA

Monitorização automática e não invasiva do atleta no ginásio com sistemas de visão computacional.

NOVOS MARCADORES DE FADIGA

Desenvolvimento e monitorização de novos marcadores de fadiga.

NOVAS FORMAS DE TREINAR

Investigação, desenvolvimento e aplicação de novas formas de treinar, desde restrição do fluxo sanguíneo à formação em hipóxia.

Rendimento desportivo

A NOSSA ÁREA DE RENDIMENTO BUSCA MELHORAR A PREPARAÇÃO FÍSICA DOS NOSSOS DESPORTISTAS A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA SISTÉMICA E INTEGRADA

Uma forma diferenciada de compreender o jogo ocasiona, implicitamente, um modo diferente de abordar e gerir cargas de treino.


Com base na metodologia do treino estruturado, desenvolvido no FC Barcelona ao longo dos anos, a nossa área de actuação tem como principal objectivo melhorar a preparação física dos nossos desportistas a partir de uma perspectiva sistémica e integrada.


As teorias de sistemas dinâmicos complexos surgem como uma nova forma de observar o jogo/desporto, favorecendo a compreensão da organização hierárquica dos sistemas vivos e a interacção dinâmica que os conduz à auto-regulação.

NOTAS RELACIONADAS

NOVOS DADOS COMO AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS DOS FUTEBOLISTAS VARIAM CONSOANTE A SUA POSIÇÃO

Muitos dos inúmeros estudos a esse respeito, contudo, analisam essas exigências tendo apenas em conta algumas variáveis ou empregando janelas de tempo muito alargadas. Um novo estudo realizado por preparadores físicos do F.C. Barcelona analisou vários desses dados com mais precisão.

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

O QUE É REALMENTE A GESTÃO DA CARGA?

Neste artigo, Tim Gabbett e a sua equipa fornecem um guia convivial para os profissionais, ao descrever o objetivo geral da gestão de carga aos treinadores.

DUAS SEMANAS SÃO SUFICIENTES PARA AUMENTAR O VOLUME E A FORÇA MUSCULAR

Pela primeira vez se prova que não são necessários meses de treino, apenas duas semanas de exercícios adequados são o suficiente para melhorar significativamente o volume e a força muscular.

EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: ESTUDAR “VACINAS” PARA OS MÚSCULOS

É importante treinar com exercícios do tipo excéntrico para prevenir possíveis danos. No entanto, o treino intensivo também pode causar alguns danos a nível muscular, que devem ser monitorizados para minimizar o risco de lesão.

O NÍVEL DE RESISTÊNCIA COMO MODERADOR DA CARGA DE TREINO

A resistência cardiovascular surgiu como moderador do resultado da carga a que se sujeita o desportista.

Estão os jogadores bem perfilados em relação à bola?

Através da visão por computador, podemos identificar alguns défices em relação à orientação corporal dos jogadores em diferentes situações de jogo.