BIHUB PATH

2 September, 2020

A pré-temporada pode reduzir riscos de lesões?

Rendimento Desportivo
Saúde e Bem-Estar

Inscreva-se para o Certificado em Carga de Trabalho e Lesões em Desportos em Equipa

entrar
318K

O objetivo da pré-temporada no futebol de alto rendimento é amplo. Por um lado, tratamos de realizar testes (alternar atletas nos jogos de preparação ou amistosos, experimentar várias abordagens táticas ou sistemas de jogo etc.), ou seja, “medir forças com outras equipes” e desenvolver capacidades físicas dos atletas para prepará-los o melhor possível para enfrentar as demandas da temporada. As equipes europeias de alto rendimento disputam frequentemente uma temporada muito longa de campeonatos (de agosto a maio), com um curto período de preparação prévia que normalmente dura entre 4 e 6 semanas. No entanto, a maioria desses clubes geralmente aproveita a pré-temporada para fazer viagens promocionais que acabam reduzindo o número de dias disponíveis para treinar. Existe alguma relação entre o trabalho realizado pelas equipes em uma pré-temporada e as lesões que os atletas sofrem durante o restante do ano?

Em uma publicação recente 1 foi analisado como o número de sessões de treinamento realizadas pelas equipes durante a pré-temporada pode influenciar na frequência de lesões e a disponibilidade dos atletas para competir durante a temporada. A pesquisa, publicada em 2020 na revista The American Journal of Sports Medicine, foi fundamentada na análise de 44 equipes de alto rendimento de 13 países europeus durante 15 temporadas consecutivas (2001/2002-2015/2016). As equipes incluídas na pesquisa participavam da UEFA Champions League ou da UEFA Europa League. O número de sessões de pré-temporada incluiu o período desde o primeiro treino até o primeiro jogo do campeonato oficial. Membros do departamento médico de cada clube registraram as lesões sofridas e a participação de cada atleta nas sessões de treinamento e nos jogos. Os problemas relacionados com as lesões foram mensurados, de acordo com 5 marcadores diferentes: (1) taxa de lesões, (2) frequência de lesões graves, (3) assistência nos treinamentos, (4) disponibilidade para competir e (5) frequência de lesões.

Os resultados sugerem conclusões extremamente relevantes conforme a seguir:

  • O número médio de sessões de treinamento realizadas pelas equipes durante a pré-temporada foi de 30 (faixa de 10 a 51 sessões). Para todas as equipes durante a temporada, a média de dias perdidos foi de 140,6 para cada 1000 horas de exposição, a frequência de lesões graves foi de 1,2 para cada 1000 horas de exposição, a assistência nos treinamentos foi de 82,1%, a disponibilidade para competir foi de 86,9% e a frequência de lesões foi de 7,1 para cada 1000 horas de exposição.
  • Um número maior de sessões de treinamento durante a pré-temporada esteve associado a menor carga de lesões durante a temporada em 4 das 5 medidas relacionadas com as lesões. Cada 10 sessões de treinamento adicionais durante a pré-temporada reduziu a média de dias perdidos por lesões em 22 para cada 1000 horas de exposição (P = 0,002), a frequência de lesões graves caiu em 0,24 lesões para cada 1000 horas de exposição (P = 0,015), a assistência nos treinamentos foi de 1,4% superior (P = 0,014) e a disponibilidade para competir foi 1,0% maior (P = 0,042).

Assim, parece que as equipes que realizam um maior número de sessões de treinamento na pré-temporada conseguem reduzir o risco de lesões. Em todo caso, os resultados devem ser considerados com certa cautela. Não foi ponderado se os atletas que sofreram um maior número de lesões foram os que apresentaram um menor número de lesões durante a temporada. Além disso, não foi considerado o tipo de sessão de treinamento (física, técnica, táctica, preventiva ou de recuperação), assim como a intensidade e o volume da carga de trabalho.

Em resumo, as equipes profissionais deveriam projetar a pré-temporada para dispor do maior número de sessões de treinamento possível e além de treinarem melhor. Reduzir o tempo de trabalho ou fazê-lo em condições que não são as mais indicadas pode aumentar o risco de lesões durante os meses seguintes. É muito provável que, no retorno dos campeonatos após as interrupções impostas pelo distanciamento social causada pela COVID-19, também precisaremos aplicar todos estes critérios de preparação.2

 

 

Carlos Lago Peñas

 

Referências:

1 Ekstrand, J., Spreco, A., Windt, J., & Khan, K. (2020). Are Elite Soccer Teams’ Preseason Training Sessions Associated with Fewer In-Season Injuries? The American Journal of Sports Medicine, 48(3), 723-729.

2 BarçaInnovationHub. Los retos del deporte ante el COVID-19: entrenamiento, estadio y pérdidas. https://barcainnovationhub.com/es/los-retos-del-deporte-ante-el-covid-19-entrenamiento-estadios-y-perdidas/

 

NOTAS RELACIONADAS

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

NOVOS DADOS COMO AS EXIGÊNCIAS FÍSICAS DOS FUTEBOLISTAS VARIAM CONSOANTE A SUA POSIÇÃO

Muitos dos inúmeros estudos a esse respeito, contudo, analisam essas exigências tendo apenas em conta algumas variáveis ou empregando janelas de tempo muito alargadas. Um novo estudo realizado por preparadores físicos do F.C. Barcelona analisou vários desses dados com mais precisão.

O QUE É REALMENTE A GESTÃO DA CARGA?

Neste artigo, Tim Gabbett e a sua equipa fornecem um guia convivial para os profissionais, ao descrever o objetivo geral da gestão de carga aos treinadores.

DUAS SEMANAS SÃO SUFICIENTES PARA AUMENTAR O VOLUME E A FORÇA MUSCULAR

Pela primeira vez se prova que não são necessários meses de treino, apenas duas semanas de exercícios adequados são o suficiente para melhorar significativamente o volume e a força muscular.

EXERCÍCIOS EXCÊNTRICOS: ESTUDAR “VACINAS” PARA OS MÚSCULOS

É importante treinar com exercícios do tipo excéntrico para prevenir possíveis danos. No entanto, o treino intensivo também pode causar alguns danos a nível muscular, que devem ser monitorizados para minimizar o risco de lesão.

O NÍVEL DE RESISTÊNCIA COMO MODERADOR DA CARGA DE TREINO

A resistência cardiovascular surgiu como moderador do resultado da carga a que se sujeita o desportista.

Estão os jogadores bem perfilados em relação à bola?

Através da visão por computador, podemos identificar alguns défices em relação à orientação corporal dos jogadores em diferentes situações de jogo.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.