13 September, 2019

A FALTA DE SONO DEBILITA O SISTEMA IMUNOLÓGICO E ATRASA A RECUPERAÇÃO DOS ATLETAS

Saúde e Bem-Estar
160K

Dentre todos os benefícios de dormir bem, há uma razão muito importante para que os atletas precisem dormir mais horas e com uma alta qualidade de sono: eles precisam devolver o equilíbrio ao seu sistema imunológico. Durante a prática esportiva, é produzida uma série de processos no organismo, que dispara uma resposta para devolver o equilíbrio homeostático habitual do corpo, que foi perdido devido ao estresse do esforço. Em outras palavras, para reparar o organismo, tanto do esforço a que foi submetido quanto da alteração metabólica sofrida.

 

A primeira consequência de um treinamento de alta intensidade e com cargas altas são o estresse e a ruptura das fibras musculares. Para sua recomposição, o sistema imunológico coloca em funcionamento a resposta inflamatória, a mesma que se ativa durante uma doença infecciosa. Neste caso, é para reparar os músculos, que serão reforçados no final do processo. Mas esta resposta só começa quando dormimos, e manter a vigília durante um longo período causa justamente o efeito contrário. Enquanto nosso corpo está desperto, ativa a resposta anti-inflamatória, em parte para dedicar toda sua energia à atenção no ambiente.

Então, quando um atleta não dorme o suficiente, “desliga” parcialmente o interruptor de seu sistema imunológico, atrasando sua recuperação total.

 

Outro desequilíbrio produzido pela prática esportiva é o aumento dos glóbulos brancos no sangue. As principais células do sistema imunológico não só aumentam seu número, mas também se deslocam aos tecidos exteriores, principalmente a pele, prevendo uma ferida ou uma lesão. Desse modo, os agentes reparadores estão preparados para agir rapidamente. Depois, no descanso posterior ao exercício, o organismo volta a recuperar seu estado habitual, os linfócitos diminuem e, ao mesmo tempo, o número de outras células de defesa, os neutrófilos, aumenta. Este equilíbrio se mantém sempre que não alterarmos nossas rotinas de sono. Singularmente, todo este processo é similar ao produzido quando estamos combatendo um resfriado ou uma gripe. Momentos nos que costumamos fazer repouso e dormir mais tempo.

 

Durante uma doença, nosso corpo nos induz ao estado de sonolência, precisamente para disparar a resposta inflamatória que mencionamos. É por este motivo que o atleta deve assumir também o descanso regular como uma prática necessária, com no mínimo oito horas diárias e no mesmo intervalo durante toda a semana. Pois com um só dia que altere seu padrão de sono, o atleta fará com que seus ritmos de recuperação baseados em seu sistema imunológico diminuam de forma drástica.

 

Um dos reguladores de todo o equilíbrio deste sistema são as citocinas. Elas são secretadas por alguns tipos de célula e servem de sinal para ativação e controle das respostas inflamatórias. A concentração de citocinas circulantes é reduzida radicalmente já na primeira noite em que dormimos mal. Seu trabalho é alertar a existência de um problema em determinada área do corpo e estimular a ativação das células reparadoras. Reduzir o número de citocinas dormindo menos implica prolongar o tempo de recuperação dos músculos, diminuir o próprio rendimento e aumentar também o risco de sofrer uma lesão ou uma doença.

 

Porque, além disso, as lesões não só estão relacionadas à recuperação muscular. O sistema imunológico também aproveita o sono para reforçar sua memória. Foi comprovado que quem dorme depois de tomar uma vacina gera, de forma mais rápida e em maior quantidade, os anticorpos que o protegerão por toda a vida contra a doença. Da mesma maneira, nosso corpo aprende de forma más ágil e eficiente a nos devolver o equilíbrio homeostático – o estado de desempenho ideal prévio ao esporte – quando dormimos.

 

A falta de sono ou de regularidade nas horas de descanso também é um processo que se retroalimenta. Cada vez que não dormimos bem, estamos estimulando uma série de processos metabólicos destinados a nos manter acordados. Por isso é fundamental, especialmente para os atletas, adquirir uma série de hábitos destinados a melhorar seu sono. Também possui singular importância para os adolescentes, afetados em todo o mundo por sono irregular devido ao jet-lag social e ao uso incorreto da tecnologia. Por isso, o FC Barcelona e o AdSalutem Institute, em colaboração com o Allianz, trabalharam em conjunto para elaborar o Guia do Sono, destinado aos jovens atletas que treinam na Masía. Lá são colhidas explicações sobre os benefícios do sono e uma série de práticas para usá-lo de forma ideal no treinamento esportivo. Tudo isso com uma clara mensagem: o atleta que não dorme bem também está limitando suas possibilidades para ser o melhor.

 

Inscreva-se para o Certificado em Médico de Equipe – Conceitos Essenciais

 

A equipe Barça Innovation Hub

NOTAS RELACIONADAS

O GRANDE DESCONHECIDO NAS LESÕES MUSCULARES: O TECIDO CONJUNTIVO DA MATRIZ EXTRACELULAR

Um editorial publicado na revista The Orthopaedic Journal of Sports Medicine —em que participaram alguns membros dos serviços médicos do clube— propõe considerar também a arquitetura íntima da zona afetada, ou seja, valorizar a matriz extracelular, como ator fundamental no prognóstico da lesão.

¿VOCÊ QUER SABER MAIS?

  • ASSINAR
  • CONTATO
  • CANDIDATAR-SE

FIQUE ATUALIZADO COM NOSSAS NOVIDADES

Você tem dúvidas sobre o Barça Universitas?

  • Startup
  • Centro de investigação
  • Corporate

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

Por favor, preencha os campos:

O formulário foi enviado com sucesso.